terça-feira, 13 de março de 2018

Por que o pecado de Adão e Eva nos afetou, se não o cometemos?



















QUE A PAZ DO SENHOR JESUS INUNDE OS VOSSOS CORAÇÕES!

Faz tempo que não posto nada, infelizmente não tenho tido quase inspiração pra dar uma palavra aqui. Mas estou tentando corrigir essa falta RECRUTANDO pessoas que me ajudem com Alimento para vocês. Muitos já passaram por aqui, nos ajudando com Palavras, mas as coisas mudam, pessoas vem e vão. Mas estou aqui tocando o barco.
Hoje quero trazer essa palavra de um acessante aqui do site que entrou em contato comigo, percebi que ele pegava rápido as minhas explicações e então eu o convidei para enviar material aqui pro Site, e este é o primeiro, espero que gostem.


Não é novidade que a Bíblia, apesar de representar em toda a sua extensão a Palavra de Deus, sendo ela uma verdade imutável, ou melhor dizendo, a própria Verdade, apresenta mesmo assim alguns pontos que podem suscitar certas dúvidas, cujas respostas podem parecer difíceis de se encontrar. Um desses pontos está logo no início das Sagradas Escrituras, no livro de Gênesis, onde temos inicialmente a narração da criação do mundo e do homem, seguida pelo episódio do Primeiro Pecado (ou Pecado Original) cometido por Adão e Eva no Jardim do Éden. Que os primeiros pais da humanidade cometeram um erro gravíssimo ao comerem do fruto proibido, desobedecendo dessa forma a própria Vontade de Deus, o que fez com que ambos fossem expulsos do Paraíso, sendo toda a humanidade afetada por tal fato, todos sabemos. No entanto, pode surgir uma dúvida comum em todos nós: Por que Deus culparia o resto da humanidade pelo erro cometido por Adão e Eva? Deus estaria culpando inocentes por um erro cometido por outras pessoas?
Embora pareça um tanto complexa, tal questão é fácil de se entender, se seguirmos dois fatores principais:
Primeiro: Adão e Eva eram os pais da humanidade, aqueles que deram origem à espécie humana. Quando Deus os colocou no Jardim do Éden, os mesmo possuíam uma quantidade enorme de dons e dádivas, e deveriam procriar e dar origem ao restante da humanidade. Porém, quando os mesmo cometeram o Pecado Original de comer do fruto proibido, acabaram perdendo tais dádivas e por consequência contraíram em seus corpos o pecado e todas as depravações, os chamados desejos da carne. Dessa forma, todos os seus descendentes iriam receber, como que por DNA, tais depravações. Seria impossível que isso não acontecesse. E Deus também não poderia impedir, dado que Deus perdoa os pecados mas não anula o resultado deles em nossas vidas. Afinal, Deus é Justo para deixar que colhamos o que plantamos. O exemplo disso é o do malfeitor que foi crucificado junto de Jesus: O mesmo arrependeu-se de seus pecados e por Jesus foi perdoado, mas mesmo assim ainda morreu na cruz, porque ela era consequências dos seus erros cometidos. Dessa forma entendemos que Deus não pune a humanidade pelo erro de Adão e Eva, mas que os problemas que enfrentamos são uma forma de consequência daquele erro, estando em nós uma natureza depravada que nos foi passada por eles.
Segundo: Temos que ver o Jardim do Éden como um presente de Deus, que deveria passar aos demais descendentes de Adão e Eva como uma forma de herança. Pensemos no seguinte exemplo: Imagine que você ganhou uma casa de presente de um empresário. Essa casa agora é sua, e poderá ser passada a seus filhos como herança posteriormente. No entanto, digamos que você faça algo de errado para com aquele empresário que lhe deu de presente essa casa e que ele decida tirar ela de você. Uma vez que você perdeu a casa, como pode deixa-la ou repassá-la como herança a seus descendentes se você não a possui mais? Ou melhor: Seria aquele empresário injusto por quê “tirou” a casa de seus filhos, sendo que quem cometeu o erro contra ele e mereceu perde-la foi você? Com Adão e Eva aconteceu o mesmo: Ambos receberam o Paraíso como presente e poderiam repassá-lo aos seus descendentes como herança. No entanto, quando pecaram contra Deus eles perderam o Paraíso e por conseguinte não poderiam mais passa-lo ao seus descendentes, porque não o tinham mais. Assim sendo, Deus não culpa inocentes pelo erro de Adão e Eva. O que houve foi que os mesmos erraram e perderam o Paraíso e, assim, não podiam mais passa-lo ao restante da humanidade, no caso nós. 

No entanto, o pecado que herdamos também foi tirado, quando Jesus Cristo na cruz pagou o preço pelos nossos erros. Dessa forma, a morte que seria nossa foi colocada em Jesus, e destruída quando Ele ressuscitou. Assim sendo, a herança do Paraíso que perdemos com o erro de Adão e Eva, voltamos a ter a oportunidade de ganharmos quando Jesus morreu por nós, trazendo novamente a esperança para os nossos corações.

Por: Antônio Espinosa.

2 comentários:

  1. Irmaos,gosto muito do entendimento que o comportamento errado do primeiro casal. Esse ato foi do conhecimento dos seus descendentes, ou seja, o péssimo exemplo foi disseminado. Assim foi com Caim e seus desdisseminado. Vemos que Enos começou a invocar o Senhor, em seguida surge Enoque e depois Noé. Abraão deu um testemunho diferente resultado veio Isaque e Jacó. A Igreja de Cristo foi comissionada a dar um tesmunho diferente, obedecendo como Abraao, Enos e Enoque.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Irmã,o exemplo não somente foi disseminado como também afetou a própria natureza humana. Com a perda do paraíso pelos primeiros pais da humanidade, todo o restante da raça humana também perdeu o mesmo porque Adão e Eva não mais podiam repassa-lo como herança aos seus descendentes. Somado a isso ainda temos que entender que com a quebra do mandamento divino Adão e Eva acabaram por contaminarem a sua própria natureza com os desejos carnais e isso afetou posteriormente todos os que dele foram tirados. Tanto Enos, Enoque, Jacó, Noé, Abraão, Isaque ou todos nós herdamos essa natureza corrompida e depravada, embora ainda possamos escolher entre seguir o exemplo de desobediência de Adão e Eva ou seguir o exemplo de Cristo que mesmo sendo Deus possuía uma natureza humana e dessa forma também estava propenso a ser tentado, como foi por toda a vida, sem, no entanto, pecar em nada.

      Excluir

PARA HONRA E GLÓRIA DO SENHOR JESUS